segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Fazer Nada


Em homenagem ao feriado de São Paulo, á preguiça, á falta de inspiração, á maratona Lost... Uma crônica de Luis Fernando Verissimo!


" Ah, o doce fazer nada. Aquela sensação de vazio na agenda- nada marcado para no mínimo um mês. Nenhum compromisso, nenhuma obrigação. Ir para a cama á noite e o último pensamento antes de dormir ser: o que é mesmo que eu preciso fazer amanhã, quando acordar? Nada! Amanhã é dia de quê? De nada! Será que eu não estou esquecendo alguma coisa? Está nada! Você não precisa nem sair da cama, se não quiser. Pode se levantar para ir ao banheiro, certo, mas depois pode voltar para a cama. Lembra quando você era criança e acordava cedo, se arrastava até o banheiro e só no meio do xixi se dava conta de que era domingo e não tinha aula? E voltava para a cama ainda quentinha? Numa escala dos maiores prazeres da existência, este está em terceiro lugar, logo abaixo de passe de calcanhar que dá certo e primeiro beijo de lingua.

Agora, é preciso qualificar o ócio. Há ocios e ócios. Muitos não sabem como fazer nada. Confundem não fazer nada com introspecção. Dedicam o fazer nada a mergulhos interiores, que só levam á angústia existencial, ou a filosofar, que só leva a idéias estranhas. Alguns dos piores desastres da história se devem a projetos para salvar a humanidade desenvolvidos durante o tempo ocioso na cama. Também deve ser evitado o ócio virtuosos, que é quando a pessoa, se sentindo culpada por não fazer nada, se impõe tarefas como organizar seus CDs em ordem alfabética ou finalmente consertar a porta do forno. Outra má idéia: o ócio criativo ("Vou escrever meu romance" ou "Vou aprender xadrez"). Esqueça. Você não estará fazendo nada. Só estará fazendo outra coisa.

Ócio bem usado é quando você para de fazer coisas para aproveitar o que os outros fizeram para você. Pense nisso: Beethoven e Mahler escreveram suas sinfonias pensando no tempo ocioso que você teria para ouvi-las, um dia. Bach e Miles Davis se deram o trabalho de fazer sua música para você ouvir quando quisesse, só tendo o trabalho de estender o braço e apertar um botão. Thomas Mann escreveu A Montanha Mágica na esperança de que no futuro, em algumas semanas sem outro compromisso, você o lesse, mesmo pulando algumas partes. Shakespeare, coitado, escreveu feito louco prevendo o seu ócio. Proust escreveu na cama para você ler também na cam, entre cochilos. São todos, por assim dizer, fornecedores do seu ócio, de T.S. Eliot a Pixinguinha.

E se você preferir ignorá-los, e ficar só contemplando o dedão do seu pé sem fazer nada, absolutamente nada, também pode. Afinal, o ócio é seu."


Fazer Nada, Luis Fernando Verissimo, para O Estado de São Paulo, Domingo, 24 de Janeiro de 2010.

10 comentários:

  1. Nossa, não tem coisa mais gostosa que fazer nadaaaaaaaaaaa!!!!
    vou dar um bodinho agora! hahha

    besos

    ResponderExcluir
  2. Que legal...rsrsrs...gostei do texto.

    ResponderExcluir
  3. Ficar sem fazer nada é muito bom, mas tem horas que stressa.
    Para mim, ficar à toa só com muita grana para gastar. (rs).
    Beijo grande.
    FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... deseja um BOM DIA !
    Saudações Florestais !

    ResponderExcluir
  4. Há momentos, que é bom não fazer nada, mesmo.
    Aí prestamos atenção até no fato de respirarmos...
    Um abraço.

    Bom dia!...

    ResponderExcluir
  5. Adorei o texto;
    poderíamos até dar mais valor a esses gênios que o Verissimo citou que nos proporcionam o prazer do ócio.
    de vez em quando precisamos mesmo desse ócio.
    bjs
    isa

    ResponderExcluir
  6. Às vezes é preciso abanar a árvore da existência para caírem as folhas velhas. Talvez seja por isso que eu não quero saber quem pintou o céu de azul, mas eu quero é o resto da tinta, porque nós podemos matar o tempo, mas é sempre ele que nos enterra.
    Gostei muito de vir aqui visitar o teu belo espaço. No carácter, na conduta, no estilo, em todas as coisas, a simplicidade é a suprema virtude. O destino une e separa pessoas. Mas nenhuma força é tão grande para fazer esquecer pessoas, que por algum motivo um dia nos fizeram feliz!
    Nunca desistas dos teus sonhos… e nunca os deixes para trás. Encontra-os, torna-os próprios e durante toda a tua vida tem muito carinho por eles e nunca os deixes partir. Necessitas de muita dedicação para realizares os teus sonhos, porque eles não se realizam por magia dado que a magia é pura ilusão – o alimento dos perdedores - que nunca te vai tirar do lugar onde te encontras.
    BOA SEMANA!

    ResponderExcluir
  7. Cá... bom dia, princesa!
    Obrigado pelos elogios em meu blog, Debaixo das Asas. És sempre bem-vinda por lá.

    Fazer nada. Um dia, quererei ter essa sensação. Acho que um dia apenas é suficiente. Ficar muito parado causa nostalgia, solidão... não sei se me faria bem.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Essa cara desse cachorro é bastante linda.
    Beijo grande.

    ResponderExcluir
  9. Boa tarde.
    Eu hoje estou igual a você, não tô fazendo nada.
    Respondendo ao seu comentário, recebo lendas de todos os meus antigos alunos. Gosto de trabalhar com os populares porque não precisa ficar queimando a pestana atrás da autoria. Eu leio tanta coisa mal escrita na internet que é de aterrorizar. Chego a conclusão que é por isso que as pessoas não se interessam por ler, como entender algo tão mal escrito, fruto de copia e cola ?
    Procuro dar uma outra roupagem as lendas, algumas muitas são da minha infância, contadas pela minha avó materna. Adorava ouvir. E aos poucos, conforme vou lembrando, procuro reescrevê-las.
    A história de hoje fala sobre o BERIMBAU.
    FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... deseja Bom domingo para você.
    Beijo grande.

    ResponderExcluir